Kilimanjaro

Destino de férias de aventura
Fotos de: Kilimanjaro
Mapa de localização
Aeroportos
Hotéis e outros Alojamentos
O que visitar
World Nomads
O Seguro de viagem com as maiores coberturas

Kilimanjaro
O monte Kilimanjaro ou monte Quilimanjaro (Oldoinyo Oibor, que significa montanha branca em Masai, ou Kilima Njaro, montanha brilhante em kiswahili), fica localizado no norte da Tanzânia, junto à fronteira com o Quénia, é o ponto mais alto da África, com uma altitude de 5 895m no Pico Uhuru. Este antigo vulcão, com o topo coberto de neve, ergue-se no meio de uma planície de savana, oferecendo um espectáculo único .

O monte e as florestas circundantes, com uma área de 75 353 hectares, possuem uma fauna rica, incluindo muitas espécies ameaçadas de extinção e constituem um parque nacional que foi inscrito pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) em 1987 na lista dos locais que são Património da Humanidade .
Turismo
Localizada no nordeste da Tanzânia, esta magnífica montanha pode ser vista de longe desde o Quênia ao Parque Nacional Amboseli.
75.000 pessoas escalam o Kilimanjaro por ano, por isso não é a montanha mais remota, nem é a mais árdua, mas é certamente um teste às habilidades de alguém que gosta da altitude.

Escalando o Kilimanjaro
Um dos aspectos mais surpreendentes da montanha nos dias de hoje é a acessibilidade do seu pico para os escaladores com equipamentos de alpinismo ou experiência anterior real de escalar essas alturas. O Kilimanjaro é a montanha mais alta que os turistas regulares podem escalar, embora continue sendo uma façanha considerável de resistência humana!

O oxigénio respirável no topo é menos da metade da quantidade que é comum no nível do mar, e os alpinistas tem de fazer pelo menos oitenta quilómetros usando nada mais que os seus próprios pés ao longo dos cinco dias que leva para chegar ao topo e retornar.

Devido ao aumento anual de turistas que pretendem subir a montanha, tendo em conta a preservação da natureza os passes não são mais emitidos no último minuto no portão do parque. É necessário fazer a reserva com antecedência.

- Adequação geral necessária
Embora seja possível simplesmente percorrer uma rota até o Pináculo de Kibo sem depender de equipamento de escalada profissional, continua sendo um esforço difícil e sério que requer um nível de condicionamento físico, resistência e uma percepção realista dos efeitos prejudiciais de altas altitudes.

Muitos operadores turísticos solicitam que os clientes consultem o médico antes de tentar escalar a montanha e fazer um check-up físico para o condicionamento físico geral.

- Fases da Subida;
A primeira experiência ao ambiente montanhoso começa com a densa vegetação da floresta tropical entre 1850 e aproximadamente 2800m.

A condensação das nuvens concentra-se principalmente em torno da floresta, por isso esta área é geralmente húmida ou encharcada com chuva.

Cerca dos 3.200m, uma vasta extensão de charneca se estende além da linha de nuvens, de modo que os céus geralmente são claros, tornando a luz do sol intensa durante os dias e frios e claros durante a noite.

A inclinação da escalada permanece suave, mas o oxigénio começa a ser mais rarefeito e pode diminuir drasticamente o ritmo da marcha.

Acima dos 4 000 metros vem o deserto Alpino, com uma vegetação mais dispersa.
Essa sensação intensifica-se à medida que a paisagem se transforma num deserto alpino mais bizarro, com terra arenosa e condições climáticas intensas e flutuações de temperatura tão dramáticas que quase nenhuma espécie de planta sobrevive, além de flores, musgos e liquens eternos. Apenas o estranho líquen sobrevive a mais de 5000 metros, depois do Kibo Huts e além do Saddle, onde a paisagem é predominantemente de rochas e campos de gelo. Aqui, os alpinistas experimentam o impulso final para o cume.

Sela para a Cimeira
As rotas leste, Marangu, Mweka, Loitokitok e Rongai convergem todas a oeste da sela perto de Gillmans Point, entre os picos de Mawenzi e Kibo. A cratera de Kibos é aproximadamente circular, com um cone interno que se estende até 5.800m, (100m abaixo do cume do Pico de Uhuru).

No centro, uma cratera interna com paredes entre 12 e 20 m de altura contém outro cone menor concêntrico, cujo centro cai no vão de 360 ​​m do poço de cinzas. Este é o núcleo de 120 metros de profundidade do vulcão, e lança fumaça fervente sulfurosa das suas profundezas, apesar dos arredores congelados e nevados.
Clima
Devido à proximidade do Monte Kilimanjaro ao equador, esta região não experimenta os extremos do clima de inverno e verão, mas sim as estações secas e úmidas. Janeiro e fevereiro são os meses mais quentes, abril e maio são os meses mais chuvosos, junho e julho são os meses mais frios, e agosto e setembro são os meses mais secos. Janeiro, fevereiro e setembro são considerados os melhores meses para escalar o Kilimanjaro em termos de clima.
Subir ao pico é como viajar do equador para a Antártida em questão de dias. Isso ocorre porque as rotas para o pico de Uruhu atravessam diferentes zonas ecológicas. Durante a subida, as temperaturas variam consideravelmente com a altitude e a hora do dia. O Monte Kilimanjaro tem cinco grandes zonas ecológicas, cada uma com aproximadamente 3.280 pés (1.000 m) de altitude. Cada zona está sujeita a uma diminuição correspondente na precipitação, temperatura e vida à medida que a altitude aumenta. No início da subida, na base da montanha, a temperatura média é de cerca de 70 ° F a 80 ° F (27 ° C a 32 ° C). A partir daí, as temperaturas diminuirão à medida que se move pelas zonas ecológicas do Monte Kilimanjaro. No topo, o pico de Uruhu, as temperaturas nocturnas variam de 0 ° F a -15 ° F (-18 ° C a -26 ° C). Devido à grande altura do Monte Kilimanjaro, a montanha cria seu próprio clima. É extremamente variável e impossível de prever. Portanto, independentemente de quando subir, deve estar sempre preparado para dias húmidos e noites frias.
Outros destinos turísticos em:
Tanzânia
Tanzânia
Zanzibar

Outros destinos turísticos mundiais

Ilha de São Vicente, Cabo Verde
Cabo Verde
San Andrés
Colômbia
Andorra
Andorra
Alemanha
Alemanha

Destinos de cidade e escapadelas de fim de semana

La Paz, Bolivia
Bolívia
Toledo, Espanha
Espanha
Verona
Itália
Faro - Algarve
Portugal

Porquê reservar com TURIS BRASIL
Os melhores preços
As nossas parcerias com os maiores operadores mundiais, oferecem uma pesquisa dos melhores preços de mercado.
Mais opções
No Rotas Turísticas pode reservar o hotel, comprar a passagem aérea, reservar o transfer do aeroporto para o hotel e vice-versa, reservar as excursões locais, alugar o carro, fazer o seguro de viagem e consultar os locais a visitar e onde ir
Dicas & Destinos de férias
Centenas de destinos de férias com todas as opções que lhe permitem facilmente escolher o destino que melhor combina com as suas férias de sonho.


Siga-nos nas redes sociais